POTENCIAL DE RENDIMENTO DE GRÃOS DE HÍBRIDOS COMERCIAIS SIMPLES, TRIPLOS E DUPLOS DE MILHO

BEATRIZ MARTI EMYGDIO, JOÃO CARLOS IGNACZAK, ALBERTO CARGNELUTTI FILHO

Resumo


No Rio Grande do Sul, 45% dos híbridos comerciais de milho são híbridos simples, 27% são híbridos triplos e 28% são híbridos duplos. Avaliar o desempenho comparativo e o potencial de rendimento de grãos de diferentes tipos de híbridos de milho foi o objetivo deste trabalho. Híbridos comerciais de milho, avaliados no RS, por meio da rede estadual de ensaios, nas safras 2002/03, 2003/04 e 2004/05, foram agrupados de acordo com o ciclo, em dois grupos de ensaios, precoces e superprecoces. Dentro de cada grupo de maturação, os híbridos foram agrupados, de acordo com o tipo, em híbridos simples (HS), híbridos triplos (HT) e híbridos duplos (HD). Utilizando-se o teste F, avaliaram-se os contrastes entre os tipos de híbridos (HS versus HT, HS versus HD e HT versus HD), para cada safra, dentro de cada grupo de maturação. Diferenças estatisticamente significativas foram encontradas entre os tipos de híbridos, no conjunto dos ambientes, para ambos os grupos de maturação. A superioridade média dos HS sobre os HD, para rendimento de grãos, foi de 12%, para o grupo de ciclo precoce e de 16%, para o grupo de ciclo superprecoce. Considerando o desempenho individual, do melhor e do pior híbrido dentro de cada grupo, a relação de superioridade entre os tipos de híbridos se alterou. Alguns híbridos duplos demonstraram potencial produtivo superior a determinados híbridos simples e triplos, indicando não ser apropriado generalizar inferências acerca do potencial produtivo de diferentes híbridos de milho com base no tipo de cruzamento.


Palavras-chave


Zea mays L., cultivares, tipos de híbridos de milho, desempenho comparativo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v6n01p%25p