EFEITO DE EXTRATOS DE NIM E DE MÉTODOS DE APLICAÇÃO SOBRE O DANO FOLIAR E O DESENVOLVIMENTO DA LAGARTA-DO-CARTUCHO, Spodoptera frugiperda, EM MILHO

PAULO AFONSO VIANA, HÉLIO TEIXEIRA PRATES, PAULO EDUARDO DE AQUINO RIBEIRO

Resumo


O nim apresenta atividade inseticida e tem perspectiva de uso para o controle de insetos em várias culturas. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de extratos de nim e de métodos de aplicação sobre o dano e o desenvolvimento larval de Spodoptera frugiperda em milho. Foram conduzidos dois experimentos em casa-de-vegetação da Embrapa Milho e Sorgo, em Sete Lagoas, MG, Brasil. No primeiro, avaliaram-se dois extratos de nim e o inseticida chlorpyrifos, com dois tipos de bicos de pulverizador, variando o número de aplicações. No segundo, avaliaram-se três concentrações do extrato aquoso de folhas e o inseticida chlorpyrifos, com duas combinações de bicos, variando o número de aplicações. Os parâmetros avaliados foram o dano foliar causado pela lagarta no milho e o desenvolvimento de lagartas sobreviventes. Os resultados do primeiro experimento mostraram que o menor dano foliar foi obtido com a aplicação do chlorpyrifos (2,00) e com o extrato aquoso de folhas de nim (2,50) aplicado três vezes, com bicos leque. O extrato comercial apresentou os maiores danos (7,22 a 7,90). O desenvolvimento das lagartas foi consistente com o menor dano nas folhas, resultando no peso de lagarta de 97,41 mg. No segundo experimento, os menores danos foliares (2,62 e 2,75) foram observados em três aplicações do extrato aquoso, com a conjugação de bicos 80.01/80.04/80.01, utilizando-se as concentrações de 10.000 e 7.500 ppm, respectivamente. O menor peso de lagartas (60,21 mg) foi para a maior concentração do extrato. Conclui-se que o extrato aquoso de folhas de nim (10.000 ppm) aplicado com bicos leque 80.01/80.04/80.01, em três pulverizações, apresenta melhor eficiência no controle de lagartas de S. frugiperda em milho. Todas as concentrações avaliadas afetam negativamente o desenvolvimento larval.


Palavras-chave


azadiractina, inseticida natural, Insecta, Zea mays.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v6n01p%25p