FORMAÇÃO DE AERÊNQUIMA EM RAÍZES DE MILHO SOB ESTRESSE DE FÓSFORO

GRACIELLE TEODORA DA COSTA PINTO COELHO, ISABEL REGINA PRAZERES DE SOUZA, NEWTON PORTILHO CARNEIRO, ROBERT EUGENE SCHAFFERT, ROSANGELA LUCI BRANDÃO, VERA MARIA CARVALHO ALVES, LUCIANO VILELA PAIVA, ANDRÉA ALMEIDA CARNEIRO

Resumo


O objetivo deste trabalho foi verificar, sob estresse de fósforo (P), possíveis alterações anatômicas em raízes da linhagem de milho A188 e de sua versão transgênica, carregando a construção gênica AtPT2::GUS. Plantas AtPT2::GUS foram utilizadas como controle positivo para a validação do estresse de P, uma vez que esse promotor direciona a expressão do gene repórter GUS somente para raízes sob deficiência de fósforo. Plantas das linhagens de milho A188 e de sua versão transgênica foram crescidas em solução nutritiva com e sem a adição de P. Após 15 dias da imposição do estresse, as raízes das plântulas foram coletadas e submetidas à coloração histoquímica de GUS e às análises anatômicas. A formação de aerênquimas foi observada entre 5 e 7,5 cm do ápice radicular, em condições de estresse de P, compreendendo as secções distal e medial das raízes. A presença de aerênquima foi observada em ambas as raízes de plântulas, transgênicas e não-transgênicas. Verificando-se assim, que raízes de plantas de milho da linhagem A188, sob estresse de P, apresentam modificação anatômica (aerênquimas), que parece ser uma adaptação das plantas visando reduzir os custos metabólicos para crescimento e exploração do solo.


Palavras-chave


linhagem, promotor AtPT2, solução nutritiva, Zea mays L.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v5n03p%25p