PRODUTIVIDADE E QUALIDADE DAS FORRAGENS DE MILHO E DE Brachiaria brizantha EM SISTEMA DE CULTIVO CONSORCIADO

ÉMERSON BORGHI, CARLOS ALEXANDRE COSTA CRUSCIOL, CINIRO COSTA, GUSTAVO PAVAN MATEUS

Resumo


Este trabalho teve por objetivo avaliar a influência da modalidade de consorciação da Brachiaria brizantha com a cultura do milho, em dois espaçamentos de semeadura, no sistema plantio direto, sobre a produtividade e a qualidade bromatológica da forragem. O experimento foi instalado em condições de campo, no ano agrícola de 2002/03, na Fazenda Experimental Lageado, da Faculdade de Ciências Agronômicas/Unesp, em Botucatu-SP. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados, em esquema fatorial simples 2x4, com quatro repetições. Os tratamentos foram dois espaçamentos entre linhas de milho (E1-0,45m e E2-0,90m) e quatro modalidades de cultivo (MCS-cultivo do milho solteiro, MBL-cultivo do milho com B. brizantha na linha de semeadura, MBE-cultivo do milho com B. brizantha na entrelinha e MBLE-cultivo do milho com B. brizantha simultaneamente na linha e na entrelinha). O cultivo consorciado do milho com Brachiaria brizantha pode ser realizado sem comprometimento da produtividade de forragem de ambas as espécies, independente da modalidade de consorciação empregada. O espaçamento de 45 cm proporciona maior produtividade da forragem de milho, porém, com qualidade superior apenas no consórcio MBLE.


Palavras-chave


Zea mays, plantio direto, integração agricultura-pecuária, espaçamento entre linhas, modalidades de consorciação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v5n03p%25p