DESEMPENHO AGRONÔMICO DE CULTIVARES DE MILHO EM QUATRO SISTEMAS DE MANEJO

LUÍS SANGOI, PAULO REGIS FERREIRA DA SILVA, ADRIANO ALVES DA SILVA, PAULO ROBERTO ERNANI, DELSON HORN, MÉRCIO LUÍS STRIEDER, AMAURI SCHMITT, CLEBER SCHWEITZER

Resumo


A quantificação do rendimento de grãos de cultivares de milho em diferentes sistemas de cultivo é importante para a tomada de decisões no manejo da cultura. O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho agronômico de genótipos de milho com bases genéticas distintas, em diferentes sistemas de manejo. O experimento foi conduzido em Eldorado do Sul-RS, nas estações de crescimento de 2001/2002 e 2002/ 2003, e em Lages, SC, nas safras de 2002/2003 e 2003/2004. Foram testadas três cultivares: o híbrido simples P32R21, o híbrido duplo Traktor e a variedade de polinização aberta BRS Planalto. As cultivares foram submetidas a quatro sistemas de manejo: baixo, médio, alto e muito alto. Os sistemas de manejo diferiram quanto à densidade de plantas, espaçamento entre linhas, adubação e suplementação hídrica. O rendimento de grãos oscilou entre 1,8 e 15,4 t ha-1, aumentando com o incremento no nível de manejo para todas as cultivares. Os incrementos no rendimento deveram-se principalmente ao aumento no número de grãos produzidos por m2. As diferenças de produtividade entre o híbrido simples e as demais cultivares acentuaram-se à medida que se incrementou o manejo da cultura. A variedade de polinização aberta BRS Planalto não apresentou maior rendimento de grãos do que os híbridos nos sistemas com baixo e médio investimento em manejo.


Palavras-chave


Zea mays, práticas culturais, híbridos, variedade, rendimento de grãos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v5n02p%25p