INTERCEPTAÇÃO DA RADIAÇÃO FOTOSSINTETICAMENTE ATIVA E RENDIMENTO DE GRÃOS DO MILHO ADENSADO

ROBÉLIO LEANDRO MARCHÃO, EDWARD MADUREIRA BRASIL, PAULO ALCANFOR XIMENES

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar o comportamento da interceptação da radiação fotossinteticamente ativa (RFA) na cultura do milho, cultivado sob diferentes densidades populacionais, em espaçamento reduzido (0,45 m). Foi instalado um experimento para avaliar seis híbridos (A 2555, A 2288, AG 9010, AG 6690, P 30F88 e Valent), cultivados em cinco densidades (40 mil, 53 mil, 71 mil, 84 mil e 97 mil plantas por hectare), no município de Goiânia, estado de Goiás, na safra de verão 2002/2003. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, com parcelas subdivididas, arranjadas em esquema fatorial 6x5, com quatro repetições. A interceptação da radiação fotossinteticamente ativa foi avaliada medindo-se a densidade do fluxo de fótons fotossinteticamente ativos: acima do dossel, na altura da espiga e ao nível do solo. Os resultados mostraram que existe correlação positiva entre a densidade de plantas e a interceptação da radiação. O adensamento proporcionado pelo incremento da densidade de semeadura em espaçamento reduzido permite uma maior interceptação da RFA, que tem como conseqüência um maior rendimento de grãos. Nas condições em que se avaliou a distribuição da radiação ao longo do dossel, pode-se concluir que o efeito da densidade sobre a maior interceptação da radiação disponível ocorre na parte superior do dossel, acima da altura das espigas.


Palavras-chave


dossel do milho, densidade de plantas, espaçamento entre linhas, atenuação da radiação solar.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v5n02p%25p