TOXICIDADE DO HERBICIDA MESOTRIONE EM PLANTAS DE MILHO PROVENIENTES DE SEMENTES COM DIFERENTES FORMATOS E DIMENSÕES

SÉRGIO DE OLIVEIRA PROCÓPIO, MARIANE D’AVILA ROSENTHAL, JESUS JUARES OLIVEIRA PINTO, ELIAS ABRAÃO JACOB JÚNIOR PERES, WOLMER BROD, ROBERTA MANICA, JOCEMAR FRANCISCO ZANATTA CARGNELUTTI FILHO, DAIANE CRISTINA SGANZERLA, JOSIELE CARDOSO CARNEIRO, LEONARDO AMARILLA, WALDIR FRANZINI

Resumo


Este trabalho teve como objetivo avaliar a fitotoxicidade do herbicida mesotrione em plantas de milho (híbrido simples X1371D– Pioneer) oriundas de sementes com diferentes características morfológicas. O experimento foi conduzido em casa-de-vegetação, no município de Capão do Leão, RS. Os tratamentos foram compostos pelas combinações de três grupos de tamanhos de sementes, classificadas em peneiras de crivo oblongo [sementes retidas na peneira de largura 14/64” (peneira 14), na peneira 18/64” (peneira 18) e na peneira 21/64”(peneira 21)], de dois formatos de sementes (chata e redonda) e de cinco doses do herbicida mesotrione (0,0; 60,0; 120,0; 180,0; e 240,0g/ha), totalizando 30 tratamentos. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados, em esquema fatorial (3x2x5) com quatro repetições. Após a separação e a classificação das sementes, procedeu-se à semeadura em vasos preenchidos com solo homogeneizado. Em cada vaso, foram semeadas oito sementes de milho, na profundidade de 3,0 cm, sendo o mesotrione aplicado em pré-emergência, 24 horas após a semeadura. Foram realizadas as seguintes avaliações: índice de velocidade de emergência das plântulas, altura de plantas, fitotoxicidade visual aos 7, 14 e 21 dias após a emergência (DAE) e biomassa seca das raízes e da parte aérea aos 21 DAE. O formato e o tamanho das sementes não se mostraram fatores importantes na predisposição das plantas de milho aos efeitos fitotóxicos do herbicida mesotrione. A aplicação do herbicida mesotrione até a dose de 240g/ha, em pré-emergência, não ocasionou nenhum tipo de efeito prejudicial às plantas de milho, mostrando-se altamente seletivo.


Palavras-chave


Zea mays, inibidores da biossíntese de carotenóides, seletividade, manejo das sementes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v5n01p%25p