ÉPOCA DE SEMEADURA E REGIMES DE CORTE NA PRODUÇÃO DE FITOMASSA E GRÃOS DE MILHETO FORRAGEIRO

ROGÉRIO DE ANDRADE COIMBRA, JOÃO NAKAGAWA

Resumo


O milheto é uma gramínea anual, de clima tropical, empregada para a alimentação animal como forrageira, em pastejo direto, para corte, feno, silagem e colheita de grãos para ração. Em função da rapidez de crescimento, é recomendado para a produção de biomassa, visando a cobertura do solo no sistema de plantio direto, no Brasil Central. O presente trabalho teve o objetivo de estudar o comportamento do milheto, após diferentes regimes de corte, semeado em duas épocas do ano, para verificar a possibilidade de cultivá-lo nas condições de Botucatu, SP, se possível com dupla finalidade de produção, fitomassa e grãos. O experimento foi conduzido em vaso, sob túnel plástico, em delineamento de blocos ao acaso, com duas épocas de semeadura (abril e setembro), cada uma com cinco tratamentos: T1) crescimento livre, sem cortes; T2) um corte, quando a planta atingiu 50 a 70 cm de altura; T3) um corte, quando a planta atingiu o florescimento; T4) seqüência de três cortes, quando a planta atingiu 50 a 70cm de altura; T5) seqüência de dois cortes, quando a planta atingiu o florescimento, e cinco repetições. Foram avaliados o desenvolvimento da planta, a ocorrência dos principais estádios fenológicos e a produção de grãos por planta. Os dados foram submetidos à análise estatística por meio de análise conjunta das épocas de semeadura e as médias, comparadas pelo teste Tukey, a 5% de significância. Comparados à testemunha (T1), destacaram-se quanto à produção de fitomassa os tratamentos T2, T3 e T5, na semeadura de setembro, e o tratamento T2, para ambas as épocas de semeadura, quanto à produção de grãos. A época de semeadura e o regime de corte afetam a produção de fitomassa e de grãos de milheto.

 


Palavras-chave


Pennisetum glaucum (L.) R. Br., manejo de cortes, dupla finalidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v5n01p%25p