CULTURAS ANTECESSORAS E ADUBAÇÃO NITROGENADA NA CULTURA DO MILHO, EM SISTEMA PLANTIO DIRETO

DENIS AUGUSTO DA SILVA, ANTONIO CARLOS TADEU VITORINO, LUIZ CARLOS FERREIRA DE SOUZA, MANOEL CARLOS GONÇALVES, RENATO ROSCOE

Resumo


A utilização de espécies antecessoras ao milho com capacidade de fornecer nitrogênio, seja através da fixação simbiótica, ou pela reciclagem do nutriente é de grande importância para a manutenção da produtividade. Com o objetivo de avaliar o efeito de culturas antecessoras e doses de nitrogênio em milho, desenvolveu-se um ensaio, no ano agrícola de 2001/02, nas dependências do Núcleo de Ciências Agrárias da UFMS. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados, com seis repetições, em parcela subdividida. A parcela principal foi composta por três culturas antecessoras ao milho (aveia preta, nabo forrageiro e ervilhaca peluda). A subparcela foi composta por seis doses de nitrogênio em cobertura (zero, 50, 100, 150, 200 e 250kg/ha). Observou-se que, sobre aveia preta, o milho respondeu positivamente à adubação nitrogenada, com máxima eficiência técnica na dose de 205 kg ha-1. Sobre nabo forrageiro, também há respostas à adubação nitrogenada, porém podem-se utilizar menores doses para a máxima eficiência técnica (175kg/ha). O milho cultivado após ervilhaca peluda não respondeu à adubação nitrogenada, porém, tem produtividade maior do que após aveia preta e nabo forrageiro.


Palavras-chave


sucessão de culturas, nitrogênio, cultura de cobertura.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v5n01p%25p