AVANÇOS NO PROCESSO SELETIVO DA VARIEDADE DE MILHO PIPOCA BRS ANGELA

CLESO ANTÔNIO PATTO PACHECO, ELTO EUGÊNIO GOMES E GAMA, SIDNEY NETTO PARENTONI, MANOEL XAVIER SANTOS, PAULO EVARISTO DE OLIVEIRA GUIMARÃES

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar o novo ciclo de seleção e verificar a possibilidade de substituição do ciclo VI, que está no mercado. Para isso, os dois ciclos foram avaliados ao lado das testemunhas comerciais, IAC 112 e Zélia, em blocos casualizados, com oito repetições, na safra de 2002/2003, em Sete Lagoas, MG. Foram analisadas 15 características agronômicas comuns ao melhoramento de milho, incluindo o índice de capacidade de expansão (ICE) e o rendimento de peneiras, importantes para o milho pipoca. No ciclo VIb, as plantas foram mais precoces, de menor porte e com espigas mais baixas, mais tolerantes ao acamamento e ao quebramento. Além disso, houve um incremento de 4,40% na produtividade e de 4,30% no ICE. A maior mudança no ciclo VIb foi no rendimento de peneiras, com um sensível aumento na proporção dos grãos com diâmetro maior que 6mm e diminuição dos grãos com diâmetro menor que 5mm. Um defeito do ciclo VIb foi o aumento na porcentagem de espigas doentes, que, mesmo assim, apresentou desempenho semelhante ao híbrido simples IAC 112, e superior ao híbrido triplo Zélia. Também por ter sido considerado fenotipicamente mais bonito, a substituição do ciclo VI pelo ciclo VIb foi considerada vantajosa.


Palavras-chave


cultivar, seleção, melhoramento, milho pipoca.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v4n03p%25p