ESTABILIDADE E CARACTERIZAÇÃO FENOTÍPICA DE HÍBRIDOS EXPERIMENTAIS E COMERCIAIS DE MILHO EM QUATRO ÉPOCAS DE PLANTIO

JOÃO ANTONIO DA COSTA ANDRADE, MÁRCIO CARREIRA DOURADO, LILIAM SILVIA CANDIDO

Resumo


O desempenho da cultura do milho é altamente influenciado pelas variações ambientais, o que pode resultar em uma média de rendimento baixa e instabilidade, de região para região, de mês para mês e de ano para ano de plantio. No entanto, os efeitos do ambiente podem ser diferentes em cada cultivar, caracterizando a interação genótipo x ambiente, que precisa ser avaliada, no sentido de assegurar uma recomendação mais eficiente de cultivares. Este trabalho foi desenvolvido na Fazenda Experimental da Universidade Estadual Paulista (UNESP) – Campus de Ilha Solteira, em Selvíria, MS, com objetivo de avaliar a estabilidade e a adaptabilidade de 20 híbridos triplos experimentais e dos híbridos comerciais XB 8010, XB 7011, DKB 333B, TORK e P 3041. Os ensaios foram instalados em novembro/2000, dezembro/2000, janeiro/2001 e março/2001, em blocos casualizados, com quatro repetições. Os caracteres avaliados foram: altura de plantas e de espigas, porcentagem de plantas em pé, rendimento de grãos e porcentagem de grãos ardidos. Os híbridos mais responsivos à época mais favorável de plantio foram HS 10 x L2, HS 32 x L2, HS 83 x L3 e TORK, para porcentagem de plantas em pé, e HS 7 x L1, HS 32 x L1, HS 83 x L1, TORK e P 3041, para rendimento de grãos. A melhoria do ambiente também provocou um aumento acentuado na porcentagem de grãos ardidos nos híbridos HS 83 x L1, HS 7 x L1, HS 83 x L3, HS 10 x L3 e P 3041, embora dentro de limites aceitáveis comercialmente.


Palavras-chave


Zea mays, híbridos, época de plantio, interação genótipo x ambiente, estabilidade, adaptabilidade, melhoramento genético.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v4n03p%25p