MATÉRIA SECA, PROTEÍNA BRUTA, NITROGÊNIO AMONIACAL E pH DAS SILAGENS DE TRÊS GENÓTIPOS DE MILHETO [Pennisetum glaucum (L). R. BR.] EM DIFERENTES PERÍODOS DE FERMENTAÇÃO

ROBERTO GUIMARÃES JÚNIOR, LÚCIO CARLOS GONÇALVES, JOSÉ AVELINO SANTOS RODRIGUES, DIOGO GONZAGA JAYME, DANIEL ANANIAS DE ASSIS PIRES, ANA LUIZA COSTA CRUZ BORGES, NORBERTO MÁRIO RODRIGUEZ, ELOÍSA OLIVEIRA SIMÕES SALIBA, IRAN BORGES

Resumo


Os teores de matéria seca (MS), proteína bruta (PB), nitrogênio amoniacal (N-NH3) e pH foram determinados no material original e nas silagens de três genótipos de milheto, após 1, 3, 5, 7, 14, 28 e 56 dias de fermentação, em silos de laboratório. Os teores de MS das silagens variaram de 23,12 a 24,49%. Os valores médios da PB foram de 10,95% nos materiais originais e 10,40% nas silagens, no 56º dia. No último período de avaliação os valores médios de N-NH3 e pH das silagens foram, respectivamente de 8,75% e 3,62. Os teores de matéria seca e proteína bruta não sofreram mudanças significativas ao longo do processo fermentativo (P> 0,05). Houve um aumento nos valores de nitrogênio amoniacal ao longo dos dias de abertura, sem tendência de estabilização. Já os valores de pH estabilizaram-se após 14 dias de fermentação.


Palavras-chave


valor nutricional, silagem, ruminantes, milheto.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v4n02p%25p