PROTEÇÃO QUÍMICA E BIOLÓGICA DE GRÃOS DE MILHO ÚMIDOS CONTRA FUNGOS DE ARMAZENAGEM E PRODUÇÃO DE AFLATOXINAS

NICÉSIO FILADELFO JANSSEN DE ALMEIDA PINTO, GUILHERME PRADO, MARIZE S. OLIVEIRA

Resumo


Grãos de milho da cultivar HD 9486, com 19,7% de umidade, foram tratados, imediatamente após a colheita, com soluções de extrato bruto de Eucalyptus citriodora (40%), essência de Eucalyptus citriodora (20%), ácido acético (5%), uréia (5%), acetato de sódio (5%), com os fungicidas benomyl (25g i.a/100kg de grãos), thiabendazole (45g) e fludioxonil (3g); óleo de girassol, óleo mineral e com suspensão de 106 UFC/ml de Sacharomyces cerevisiae. Aos grãos da testemunha foi adicionada água, obedecendo à mesma relação utilizada nos demais tratamentos (0,75% peso de grãos/volume do produto). A seguir, esses grãos foram armazenados em sistema com aeração contínua, constituído de tambores metálicos de 200 litros de capacidade, com fundo de tela de aço e sobre dutos de aeração, e em sistema sem aeração, constituído de tambores com fundo de metal, sobre estrados de madeira. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com 24 tratamentos (parcelas com 80kg de grãos), em três repetições. A eficiência dos produtos no controle de Aspergillus flavus e Penicillium spp. foi avaliada quantificando-se a porcentagem de grãos visualmente mofados, aos 17 dias de armazenagem. No sistema sem aeração, os fungicidas benomyl, thiabendazole e fludioxonil apresentaram controles desses fungos a níveis abaixo do limite de tolerância, que é de 3%. A testemunha apresentou 49,6% de grãos mofados. As médias da umidade e da temperatura intergranular foram de 15,5% e 35,5 oC, respectivamente. No sistema aerado, todos os tratamentos apresentaram baixo nível de mofamento dos grãos (1,2% na testemunha). Provavelmente, nesse período de armazenagem, a temperatura intergranular e a umidade dos grãos foram desfavoráveis ao desenvolvimento desses fungos. Nessa época, foram determinados os níveis (μg/kg ou ppb) de aflatoxinas, sendo utilizado o métodos ELISA e cromatografia em camada delgada. Na condição aerada, os grãos de milho apresentaram os menores níveis de aflatoxinas e foram significativamente diferentes (P< 0,05), quando comparados aos valores encontrados na condição não aerada. Na condição aerada, a maior eficiência na proteção dos grãos de milho em relação à biossíntese de aflatoxinas (2,1μg/kg de B1 + B2 + G1+G2) foi verificada no tratamento com thiabendazole. Do exposto, conclui-se que a aeração contínua e a proteção dos grãos com os fungicidas benomyl, thiabendazole e fludioxonil são eficientes contra o mofamento causado por Aspergillus flavus e Penicillium spp. e na redução da biossíntese de aflatoxinas.


Palavras-chave


Zea mays, fungos toxigênicos, micotoxinas, patologia de grãos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v4n02p%25p