CARBOIDRATOS SOLÚVEIS, DIGESTIBILIDADE “IN VITRO” DA MATÉRIA SECA E ÁCIDOS ORGÂNICOS DAS SILAGENS DE TRÊS GENÓTIPOS DE MILHETO [Pennisetum glaucum (L). R. BR.] EM DIFERENTES PERIODOS DE FERMENTAÇÃO

ROBERTO GUIMARÃES JÚNIOR, LÚCIO CARLOS GONÇALVES, JOSÉ AVELINO SANTOS RODRIGUES, NORBERTO MÁRIO RODRIGUEZ, ANA LUIZA COSTA CRUZ BORGES, IRAN BORGES, ELOÍSA OLIVEIRA SIMÕES SALIBA, DIOGO GONZAGA JAYME, DANIEL ANANIAS DE ASSIS PIRES

Resumo


Foram determinados os valores de carboidratos solúveis, digestibilidade in vitro da matéria seca e ácidos orgânicos (lático, acético e butírico) das silagens de três genótipos de milheto (CMS-1, BRS-1501 e BN-2) com um, três, cinco, sete, 14, 28 e 56 dias de fermentação. Uma grande variação nos teores de carboidratos solúveis foi observada para o material original dos três genótipos avaliados, sendo que o BN-2 se destacou entre os demais apresentando valor de 8,33%. Houve um grande consumo desta fração com o avançar do processo fermentativo e a partir do dia 5 os genótipos mostraram-se semelhantes estatisticamente. Após 56 dias de fermentação os valores médios para ácido lático, acético e butírico foram de 6,72%, 1% e 0,02%, respectivamente. A digestibilidade in vitro da matéria seca não foi influenciada pelo processo fermentativo e seus valores variaram de 52,93 a 57,18% nos materiais originais e de 51,78 a 55,36% nas silagens após 56 dias de fermentação. De acordo com os parâmetros avaliados, os três genótipos de milheto podem ser indicadas como opção para produção de silagem na época da safrinha.


Palavras-chave


nutrição animal, valor nutricional, ruminantes, silagem, milheto.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v4n01p%25p