USO DO EFEITO XÊNIA EM HÍBRIDOS COMERCIAIS DE MILHO (Zea mays L.)

JOÃO ANTONIO DA COSTA ANDRADE, FLÁVIA CRISTINA DINIZ PEREIRA

Resumo


O efeito do pólen no embrião e endosperma da semente (xênia) pode ser explorado com o cultivo de duas cultivares misturadas em uma mesma lavoura. Para identificar pares de cultivares de milho com efeito xênia, foram avaliados os híbridos AG 8080, DKB 333B, CO 32, P 30F80, TORK e XB 8010, em polinização cruzada e “sib”, em duas épocas. Para peso médio dos grãos ocorreu efeito xênia de 15% no XB 8010 polinizado pelo TORK (primeira safra) e de 20% no AG 8080 polinizado pelo DKB 333B (segunda safra). O conteúdo de proteína diminuiu 9,0% no DKB 333B polinizado pelo TORK na primeira safra, e os conteúdos de óleo do AG 8080 e TORK foram aumentados em 15% e 14% pelo polinizador DKB 333B. Na segunda safra, os polinizadores P 30F80 e DKB 333B aumentaram em 20% e 21% os conteúdos de óleo de CO 32 e P 30F80. O fenômeno foi inconsistente nas duas épocas, evidenciando interação genótipo x ambiente. A mistura de cultivares na lavoura é de custo baixíssimo, podendo ser utilizada quando houver evidências de efeito xênia positivo e coincidência de florescimento entre as cultivares, para haver maior possibilidade de cruzamento. Isso pode ser indicado para XB 8010 e TORK na primeira safra e AG 8080 e DKB 333B na segunda safra.


Palavras-chave


polinização cruzada, hibridação, mistura de sementes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v4n01p%25p