QUALIDADE FISIOLÓGICA E SANITÁRIA DE SEMENTES DE HÍBRIDOS DUPLOS DE MILHO UTILIZANDO A GERAÇÃO F1 E F2 DE HÍBRIDOS

PAULA NOTINI LOBATO, RENZO GARCIA VON PINHO, ÉDILA VILELA DE RESENDE VON PINHO, MAGNO ANTÔNIO PATTO RAMALHO

Resumo


A participação do custo das sementes híbridas no custo total de produção de uma lavoura de milho tem aumentado significativamente nos últimos anos. Uma alternativa visando a redução no custo das sementes é a utilização de híbridos duplos obtidos a partir da geração F2 de híbridos simples. A grande vantagem dessa alternativa é que não há necessidade de se manter as linhagens parentais e nem da obtenção da geração F1 do híbrido simples, pois a população F2, para os locos não ligados, está em equilíbrio de Hardy-Weinberg e suas propriedades genéticas não alteram com as sucessivas gerações de cruzamento ao acaso. Considerando a produção de grãos, já foi constatado que geneticamente não existem diferenças no emprego da geração F1 ou F2 dos híbridos simples na obtenção do híbrido duplo. Não se tem informações, entretanto, com relação a qualidade das sementes produzidas. Este trabalho objetivou comparar a qualidade fisiológica e sanitária das sementes de híbridos duplos obtidas a partir da geração F1 e F2 de híbridos simples. Os campos de produção de sementes foram conduzidos em área experimental da UFLA em duas épocas distintas, sendo a primeira semeadura realizada em setembro e a segunda em dezembro de 2001. Em cada época foram instalados quatro campos isolados para a produção de sementes dos híbridos duplos DKB333/AG9012 e DKB901/AG9012. Em dois campos de produção utilizou-se como parental feminino a geração F1 dos híbridos simples DKB333 e DKB901 e como masculino o híbrido simples AG9012. Nos outros dois campos de produção, as sementes dos híbridos duplos foram produzidas a partir da geração F2 dos mesmos híbridos simples, que foram obtidas por autofecundações de plantas dos respectivos híbridos. Nos campos de produção foram avaliadas as seguintes características agronômicas: altura de planta, altura de inserção de primeira espiga, peso de espiga e produção de sementes. A qualidade fisiológica das sementes foi avaliada pelos testes de germinação, frio, envelhecimento artificial, índice de velocidade de emergência, emergência em substrato de solo e areia e peso de matéria seca. A qualidade sanitária foi avaliada pelo “blotter test”. A redução na produtividade de sementes foi em média de 28,7% quando se utilizou como parental feminino a geração F2 dos híbridos simples, comparado à utilização da geração F1. Com a semeadura em setembro, a redução na produção de sementes da geração F2 em relação a F1 foi em média de 46%. Em dezembro esta redução foi de 10,8%. Os testes utilizados para avaliação da qualidade fisiológica das sementes evidenciaram a superioridade das sementes produzidas a partir da geração F1 dos híbridos simples. A qualidade sanitária das sementes obtidas a partir da geração F2 também foi inferior à das obtidas a partir da geração F1.


Palavras-chave


Zea mays L., heterose, qualidade de semente, milho híbrido.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v4n01p%25p