PHYSIOLOGICAL QUALITY IN SEEDS FROM HAPLOID INDUCERS IN MAIZE

ANA CAROLINA APARECIDA DA SILVA, ROBERTO DOS SANTOS TRINDADE, BRUNA LOPES MARIZ, MARIANA RODRIGUES RIBEIRO, DEA ALÉCIA MARTINS NETTO, NÁDIA LACERDA DURÃES PARELLA, ISABEL REGINA PRAZERES DE SOUZA, BIANCA MACHADO CAMPOS TRINDADE, LAURO JOSÉ MOREIRA GUIMARÃES, PAULO EVARISTO DE OLIVEIRA GUIMARÃES

Abstract


O objetivo do presente trabalho foi avaliar a qualidade fisiológica em sementes de indutores de haploidia de diferentes tipos e origens. Para tanto, entre dezembro de 2015 e março de 2016, foi realizada uma série de avaliações da qualidade fisiológica de nove genótipos indutores de haploidia em milho, a saber: os indutores gimnogenéticos Stock 6, TAIL P1 e TAIL P2; o híbrido entre os indutores TAIL P1 x TAIL P2; o híbrido TAIL P2 x TAIL P1, análogo ao híbrido anterior, mas com inversão do progenitor feminino no cruzamento; e indutores androgenéticos W23, 90109 igig, 91202 igig e 91207 igig. Os testes realizados foram germinação, envelhecimento acelerado, emergência em leito, índice de emergência, massa fresca e seca, comprimento da parte aérea e raiz e a relação entre essas características, a umidade e o peso de 100 sementes. Os resultados indicaram que a qualidade fisiológica melhorou ao longo da seleção para maior indução haplóide. O sistema de indução de haploidia (andorgenético ou gimnogenético) não interfere na qualidade fisiológica, porém os resultados obtidos reforçam a necessidade de cuidados na multiplicação e conservação de sementes indutoras de haploidia em condições tropicais para uso no melhoramento.


Keywords


Zea mays L.; Indução de haploidia; tropicalização; germinação e vigor

Full Text:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/rbms2021v20e1214