COMPONENTES DE VARIÂNCIA GENÉTICA DE POPULAÇÕES DERIVADAS DE HÍBRIDOS SIMPLES DE MILHO

FRANCISLEI VITTI RAPOSO, MAGNO ANTÔNIO PATTO RAMALHO

Resumo


O objetivo do presente trabalho foi de estimar os componentes da variância genética intra e interpopulacionais de duas populações S0 derivadas dos híbridos simples comerciais AG9012 e C333, com o intuito de avaliar o seu potencial para programas de seleção recorrente intra ou interpopulacionais. Para isso, foram aleatoriamente autofecundadas 169 plantas S0, obtendo-se as progênies S1. Uma parte das sementes de cada progênie foi armazenada e o restante utilizado para gerar progênies de meios-irmãos intra e interpopulacionais. Os diferentes tipos de progênies, (S1, meios-irmãos intra e interpopulacionais) de ambas as populações, foram avaliados na safra 2000/01, no município de Ijaci, localizado na região Sul do Estado de Minas Gerais, utilizando-se o delineamento de látice simples 13x13. A partir das esperanças dos quadrados médios, foram estimados os componentes da variância genética para o peso de espigas despalhadas. As estimativas obtidas, associadas ao desempenho médio das progênies avaliadas, possibilitam inferir que as duas populações derivadas de híbridos simples comerciais são promissoras para programas de seleção recorrente intra ou interpopulacionais. Constatou-se, também, predominância do efeito aditivo no controle do caráter avaliado. E embora as populações apresentassem depressão por endogamia, condição esta necessária para a ocorrência de estimativas de variância de dominância, diferente de zero, esta foi nula para uma das populações. Com relação à estimativa da variância genética aditiva interpopulacional, esta foi de grande magnitude. Porém, a sua decomposição na variância dos desvios dos efeitos aditivos inter e intrapopulacionais (σ2τw) e também na covariância entre esses desvios e seus efeitos aditivos (Cov (Awτw) não permitiu inferências conclusivas sobre as propriedades genéticas das duas populações. 


Palavras-chave


genética quantitativa, seleção recorrente recíproca, Zea mays, ganho estimado.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v3n03p%25p