DESEMPENHO DA CULTURA DO MILHETO EM FUNÇÃO DE ÉPOCAS DE SEMEADURA E DO MANEJO DE CORTE DA PARTE AÉREA

ROGÉRIO FARINELLI, LEANDRO BORGES LEMOS, FERNANDO GUIDO PENARIOL, EUDES SILVA NASCIMENTO

Resumo


Em virtude da necessidade de cultivo de espécies de cobertura para a produção de matéria seca satisfatória, com permanência dos resíduos sobre o solo, em sistema de plantio direto, conduziu-se um trabalho na FCA/UNESP, campus de Botucatu-SP, cujo objetivo foi avaliar a influência de épocas de semeadura e de manejo de corte da parte aérea da cultura do milheto em condições de sequeiro. O experimento foi conduzido num delineamento de blocos casualizados, em esquema de parcelas subdivididas, sendo as parcelas representadas por três épocas de semeadura (25/04, 15/05 e 06/06/02) da cultura do milheto e as subparcelas pelo manejo da parte aérea: corte a cada florescimento e retirada do resíduo vegetal, corte a cada florescimento e permanência do resíduo vegetal na superfície do solo, corte apenas no primeiro florescimento e retirada do resíduo vegetal, corte apenas no primeiro florescimento e permanência do resíduo vegetal na superfície do solo e livre crescimento. Foram avaliadas a produção de matéria seca da parte aérea e a porcentagem de cobertura do solo. Os resultados permitiram concluir que a semeadura de outono/inverno da cultura do milheto para a produção de matéria seca é viável, tanto para plantio direto quanto para alimentação animal; a primeira época de semeadura e os manejos com corte a cada florescimento do milheto promoveram a maior produção de matéria seca total; a época de semeadura teve importância significativa na produção de matéria seca e não foi obstáculo para a ocorrência considerável de cobertura de solo.


Palavras-chave


Pennisetum typhoides, semeadura outono/inverno, corte.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v3n03p%25p