DENSIDADE DE PLANTAS E ADUBAÇÃO NITROGENADA EM MILHO CULTIVADO NA SAFRINHA

PEDRO SENTARO SHIOGA, EDSON LIMA DE OLIVEIRA, ANTÔNIO CARLOS GERAGE

Resumo


O cultivo do Milho na Safrinha tem se constituído em instrumento fundamental para o complemento no abastecimento do milho no Brasil. O cultivo de 990.904 hectares no Paraná, no ano de 2000, evidencia a importância desta prática. No entanto, os esforços da pesquisa não têm disponibilizado adequadamente informações para esta prática. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o efeito da densidade de plantas e da adubação nitrogenada sobre as características agronômicas e produtividade de grãos de milho safrinha. Os experimentos foram instalados em plantio direto após o cultivo da soja em 1998, 1999 e 2001 nos municípios paranaenses de Londrina, Primeiro de Maio, Palotina e Marechal Cândido Rondon. O delineamento experimental foi de blocos ao acaso com três repetições e os tratamentos arranjados segundo um fatorial (2x3x4) sendo: dois cultivares (AG 5011 e C 909); três densidades de aproximadamente 33, 44 e 55 mil plantas por hectare com 90cm de espaçamento e quatro doses de N correspondendo a aplicação de 0, 45, 90 e 135kg/ha como uréia. Um terço das doses de nitrogênio foi aplicado no plantio juntamente com 60kg/ha de P2O5 e 5kg/ha de K2O. Os resultados mostraram diferenças significativas entre as densidades de plantas nos diferentes locais avaliados. As respostas encontradas para doses de nitrogênio foram baixas e variaram nos diferentes municípios e anos de cultivo. Os resultados evidenciam também que maiores produtividades de grãos são obtidas quando são aumentadas concomitantemente a aplicação de nitrogênio e a densidade de plantas.


Palavras-chave


Zea mays L., milho, safrinha, densidade de plantas, nitrogênio, rendimento.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v3n03p%25p