INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA SOBRE O POTENCIAL FISIOLÓGICO DE SEMENTES SORGO SACARINO APÓS OSMOCONDICIONAMENTO

PALOMA RAYANE PINHEIRO, LUMA RAYANE DE LIMA NUNES, ALEK SANDRO DUTRA

Resumo


No solo as sementes se deparam com diversos fatores limitantes como o estresse hídrico e as altas temperaturas. Objetivou-se no presente trabalho avaliar o potencial fisiológico de sementes de sorgo sacarino após o condicionamento das sementes com PEG 6000 e expostas a diferentes temperaturas de germinação. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado distribuídos em parcelas subdivididas com três temperaturas (20, 25 e 30 ºC) x quatro lotes (L1, L2, L3 e L4) x cinco potenciais osmóticos (0; -0,1; -0,2; -0,3 e -0,4 MPa). A temperatura consistia na parcela, os lotes como as subparcelas e os potenciais osmóticos como sub-subparcelas. Cada tratamento foi formado por 4 repetições. Após o condicionamento, as sementes foram submetidas às seguintes avaliações: porcentagem de germinação (G), primeira contagem de germinação (PC), comprimento de parte aérea (PA) e radicular (PR), relação parte aérea/ raiz (PA/PR) e massa seca de plântulas (MS). O condicionamento osmótico influenciou de forma positiva a G e a PC para as sementes de sorgo sacarino nas temperaturas testadas, permitindo uma separação dos lotes quanto ao seu desempenho fisiológico. O condicionamento osmótico e o aumento da temperatura de germinação afetaram negativamente o crescimento das plântulas.


Palavras-chave


Sorghum bicolor (L.), condicionamento fisiológico, déficit hídrico, estresses abióticos

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v18n2p299-310