INOCULAÇÃO DE SEMENTES COM Azospirillum brasilense E DOSES DE NITROGÊNIO MINERAL EM MILHO CULTIVADO EM SISTEMA PLANTIO DIRETO

GABRIELA THOMAZINI, MARIANA PANDOLFI REICHEMBACK, ORIVALDO ARF, GUSTAVO ANTONIO XAVIER GERLACH, SALATIER BUZETTI, RICARDO ANTONIO FERREIRA RODRIGUES

Resumo


A procura de alternativas viáveis para reduzir o uso de fertilizantes tem crescido e a inoculação de sementes com Azospirillum brasilense pode suprir tal necessidade. Dessa forma o objetivo do trabalho foi avaliar o desempenho agronômico do milho, em função da inoculação das sementes com A. brasilense e das doses de nitrogênio em cobertura, em sistema plantio direto, nos anos agrícolas de 2010/11 e 2011/12 (primeira safra). Os experimentos foram conduzidos na área experimental da Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, localizada no município de Selvíria – MS, em LATOSSOLO VERMELHO Distrófico típico argiloso e com irrigação por aspersão. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados dispostos em um esquema fatorial 5x2, com quatro repetições. Os tratamentos foram constituídos por cinco doses de nitrogênio em cobertura (0, 30, 60, 90 e 120 kg ha-1 de N), com ou sem inoculação de sementes com Azospirillum brasilense. Foram avaliados: população final de plantas, teor de N nas folhas, altura de plantas, altura de inserção da espiga, massa total da espiga despalhada, massa de grãos por espiga, massa de 100 grãos e produtividade de grãos. Os dados obtidos foram submetidos ao teste F da análise de variância, em seguida, por regressão polinomial para o estudo das doses de nitrogênio, ajustando-se modelos de equações lineares e quadráticas. Concluiu-se que a inoculação de sementes de milho com Azospirillum brasilense proporcionou maior população final de plantas, massa total de espiga despalhada, massa de grãos por espiga e produtividade de grãos; o incremento das doses de nitrogênio aplicado em cobertura aumentou o teor de N foliar, a massa de 100 grãos e a produtividade de grãos; a inoculação com Azospirillum brasilense e a dose 120 kg ha-1 de nitrogênio proporcionou a maior produtividade de grãos.


Palavras-chave


Zea mays L.; Ureia. Irrigação por aspersão. Bactérias diazotróficas

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v18n3p396-407