EFEITO DO RETARDAMENTO DA COLHEITA DE MILHO NA INCIDÊNCIA DE GRÃOS ARDIDOS E DE FUNGOS PATOGÊNICOS

JOÃO ANARACY SANTIN, ERLEI MELO REIS, AIDA TEREZINHA SANTOS MATSUMURA, MARCELO GRAVINA DE MORAES

Resumo


O trabalho objetivou avaliar o efeito do retardamento da colheita na incidência de grãos ardidos e de fungos patogênicos em grãos de milho dos híbridos XL 212 e XL 344, semeados no sistema plantio direto em duas áreas de 60 x 100 m, com 55.000 plantas por hectare e cultivados sobre as coberturas vegetais de solo, aveia preta e nabo forrageiro. A incidência de grãos ardidos (GA) foi determinada pela média de quatro repetições de 250g por amostra e a incidência de fungos foi determinada em 400 sementes incubadas no meio de batata-dextrose-ágar (BDA), em câmara de crescimento a 25ºC e fotoperíodo de 12 horas, durante sete dias. A incidência de GA aumentou em todos os tratamentos até a quarta avaliação, sendo que no híbrido XL 344, cultivado sobre a cobertura de nabo, alcançou 6,2% de GA e, sobre a cobertura de aveia foi de 3,5%. No híbrido XL 212, a incidência máxima foi de 2,3% e de 2,0% sobre as coberturas de aveia e nabo, respectivamente. O retardamento da colheita do milho não influenciou no aumento da incidência de grãos ardidos, porém influenciou na redução da incidência de F. moniliforme e no aumento da incidência de F. graminearum e das espécies dos gêneros Aspergillus, Cephalosporium e Penicillium.


Palavras-chave


milho, grãos, Zea mays L., colheita.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v3n02p%25p